Você está vendo a documentação do Kubernetes versão: v1.22

Kubernetes v1.22 a documentação não é mais mantida ativamente. A versão que você está visualizando no momento é uma cópia estática. Para obter a documentação atualizada, consulte última versão.

Gerenciando Secret usando kubectl

Criando objetos Secret usando a linha de comando kubectl.

Antes de você começar

Você precisa de um cluster Kubernetes e a ferramenta de linha de comando kubectl precisa estar configurada para acessar o seu cluster. Se você ainda não tem um cluster, pode criar um usando o minikube ou você pode usar um dos seguintes ambientes:

Criando um Secret

Um Secret pode conter credenciais de usuário requeridas por Pods para acesso a um banco de dados. Por exemplo, uma string de conexão de banco de dados é composta por um usuário e senha. Você pode armazenar o usuário em um arquivo ./username.txt e a senha em um arquivo ./password.txt na sua máquina local.

echo -n 'admin' > ./username.txt
echo -n '1f2d1e2e67df' > ./password.txt

A opção -n nos comandos acima garante que os arquivos criados não vão conter uma nova linha extra no final do arquivo de texto. Isso é importante porque quando o kubectl lê um arquivo e codifica o conteúdo em uma string base64, o caractere da nova linha extra também é codificado.

O comando kubectl create secret empacota os arquivos em um Secret e cria um objeto no API server.

kubectl create secret generic db-user-pass \
  --from-file=./username.txt \
  --from-file=./password.txt

A saída deve ser similar a:

secret/db-user-pass created

O nome da chave padrão é o nome do arquivo. Opcionalmente, você pode definir o nome da chave usando --from-file=[key=]source. Por exemplo:

kubectl create secret generic db-user-pass \
  --from-file=username=./username.txt \
  --from-file=password=./password.txt

Você não precisa escapar o caractere especial em senhas a partir de arquivos (--from-file).

Você também pode prover dados para Secret usando a tag --from-literal=<key>=<value>. Essa tag pode ser especificada mais de uma vez para prover múltiplos pares de chave-valor. Observe que caracteres especiais como $, \, *, =, e ! vão ser interpretados pelo seu shell e precisam ser escapados. Na maioria dos shells, a forma mais fácil de escapar as senhas é usar aspas simples ('). Por exemplo, se sua senha atual é S!B\*d$zDsb=, você precisa executar o comando dessa forma:

kubectl create secret generic db-user-pass \
  --from-literal=username=devuser \
  --from-literal=password='S!B\*d$zDsb='

Verificando o Secret

Você pode verificar se o secret foi criado:

kubectl get secrets

A saída deve ser similar a:

NAME                  TYPE                                  DATA      AGE
db-user-pass          Opaque                                2         51s

Você pode ver a descrição do Secret:

kubectl describe secrets/db-user-pass

A saída deve ser similar a:

Name:            db-user-pass
Namespace:       default
Labels:          <none>
Annotations:     <none>

Type:            Opaque

Data
====
password:    12 bytes
username:    5 bytes

Os comandos kubectl get e kubectl describe omitem o conteúdo de um Secret por padrão. Isso para proteger o Secret de ser exposto acidentalmente para uma pessoa não autorizada, ou ser armazenado em um log de terminal.

Decodificando o Secret

Para ver o conteúdo de um Secret que você criou, execute o seguinte comando:

kubectl get secret db-user-pass -o jsonpath='{.data}'

A saída deve ser similar a:

{"password":"MWYyZDFlMmU2N2Rm","username":"YWRtaW4="}

Agora, você pode decodificar os dados de password:

echo 'MWYyZDFlMmU2N2Rm' | base64 --decode

A saída deve ser similar a:

1f2d1e2e67df

Limpeza

Para apagar o Secret que você criou:

kubectl delete secret db-user-pass

Próximos passos

Última modificação September 10, 2021 at 12:39 AM PST : [pt-br] Fix secret name to be consistent with examples (82c3bf13a)